quarta-feira, 1 de abril de 2015

António Barbosa Bacelar, in 'Fénix Renascida' - Amoroso Desdém num Belo Agrado

Amoroso desdém num belo agrado, 

No mais duro ferir um doce jeito, 
Tirania suave em brando aspeito, 
Olhos de fogo em coração nevado, 

No vestir um asseio descuidado, 
Ingratidão amável no respeito, 
O brio, a graça, o riso em um sujeito, 
Variamente com o grave misturado. 

Animado primor da formosura, 
Luzido discursar de engenho agudo, 
Custosa luz, incêndio pretendido, 

Alma no talhe, garbo na postura, 
Capricho no cuidado, ar no descuido, 
Armas são com que amor me tem rendido. 


António Barbosa Bacelar, in 'Fénix Renascida' 
Título: Amoroso Desdém num Belo Agrado
Portugal -1610 // 1663 
Poeta 

Nenhum comentário:

Postar um comentário