sábado, 9 de novembro de 2013

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Autor:Arnaldo JaborTitulo: Crônica  do AmorBlog Poema & Versos

Nenhum comentário:

Postar um comentário